Compartilhando Conhecimento: O Poder dos Grupos

Uma das mais difíceis realidades, seja em crises de meia idade ou em tantas outras situações desafiadoras, é quando você simplesmente não consegue ver o que está acontecendo.

Outro reflexo comum é o sentimento de isolamento, solidão, como se ninguém fosse capaz de entender o que você realmente está passando.

Existe fórmula para o bem estar?

Criar maneiras novas e sistemáticas de reunir pessoas e contar histórias é um antídoto para o isolamento.

Seja criando grupos, retiros ou Encontros, o intuito de passar sabedoria adiante pode ser um dos maiores benefícios desse modelo social.

Vários estudos descobriram que manter uma conexão com a comunidade reduz o risco de morte e aumenta o bem estar (Holly Danks, The Oregonian, julho de 2004).

Praticar novas maneiras de se relacionar com os outros e se expressar em um grupo pode ajudar o crescimento pessoal.

Grupos ganham destaque na Imprensa

Esse conceito tem conquistado espaço em diversos ambientes, até mesmo em ambientes corporativos de alta competitividade e pressão.

Uma matéria da Gazeta do Povo noticiou em novembro de 2010:

“(…)Surgiu nos Estados Unidos o Renaissance Executive Forums, uma companhia focada em ajudar executivos de alto-escalão. O Renaissance funciona como um “clubinho de CEOs”, em que presidentes de empresas de diferentes ramos se encontram mensalmente para discutir e debater questões ligadas à gestão das empresas e à carreira dos executivos. “A ideia é colocar o CEO entre ‘iguais’. O maior benefício desses encontros é que não há restrição de assunto. Dentro de um mesmo grupo nunca há concorrentes, fornecedores ou clientes. Então ele pode falar sobre os desafios e receber feedback sinceros de pessoas com experiência e sucesso, que, assim como ele, lideram uma organização”, afirma André Kauf­mann, presidente da Renaissance no Brasil.”

Outra matéria da BBC News, essa já mais recente, de agosto de 2019, revelou grandes CEOs cujo sucesso é mascarado por altíssimos níveis de stress, ansiedade e depressão. Apesar de precisarem aparentar que tudo está bem na frente das câmeras, é nos grupos de CEOs que acontecem as verdadeiras discussões. 

  • “(…)I am involved with a CEOs group and our time together feels like therapy. The discussions happening there are not happening on Twitter.”

“Estou envolvido com um grupo de CEOs e nosso tempo juntos parece terapia. As discussões que estão acontecendo lá não estão acontecendo no Twitter.”

Projeto Encontros e Reencontros

O lado oculto das Escolhas Amorosas
Do privilégio à opressão - O Masculino em Xeque
A caixa preta (e lúdica) da Paternidade
A angústia silenciada e os sintomas do corpo
Recalculando a Rota: A crise do meio da vida
Previous
Next

“(…) não é terapia, imersão, autoajuda ou dinâmica de grupo!”. 

Do que são capazes duas horas dedicadas à apresentação de aspectos históricos e teóricos de um tema, envolvendo relatos/trocas de experiências práticas e promoção de diálogos genuínos com os participantes?

Através da mentoria de profissionais especialistas, o Projeto Encontros e Reencontros é uma iniciativa pautada no entendimento do valor dos grupos.

Resgatar o diálogo e a reflexão de qualidade favorece aprendizagem e transformação genuína. 

Com quem você conversa a respeito de temas como esses?

Celi Helena

Graduada em Psicologia, Especialista em Psicoterapia Junguiana e em Psicossomática. Especializanda em Psicogerontologia. Atua na área clínica com psicoterapia, técnicas corporais de relaxamento, orientação vocacional e de carreira, programas pré e pós-aposentadoria. Participa de palestras/workshops sobre envelhecimento e preparo para a aposentadoria. CRP: 06/104040.
Celi Helena

Últimos posts por Celi Helena (exibir todos)

Fechar Menu

Contato

Preencha o formulário abaixo e vamos conversar!